4 dicas para escolher e comprar chás de qualidade

 

 

O chá tem ganhado cada vez mais espaço nas prateleiras do mercado. Pelas ruas do Brasil – principalmente Centro, Sudeste e Sul – inauguram cada vez mais lojas e casas de chá, ou ainda confeitarias com foco em chá, e não café. Como escolher os melhores chás em meio a tanta oferta? Como distinguir a qualidade dos produtos?

São 4 dicas. E todas envolvem os seus 5 sentidos (ou seis)!

  1. Observe as folhas
  2. Sinta o aroma do chá
  3. Deguste o chá
  4. Utilize os demais sentidos para curtir o momento e saborear a vida e o chá

 

1- OBSERVE AS FOLHAS

Observe o formato das folhas e seu tamanho. Quanto mais inteiras as folhas estiverem, melhor é a qualidade do chá. Analise se as folhas estão quebradas ou inteiras. “Mas como ver as folhas dentro de um saquinho de chá?” Melhor não comprar o que você não pode ver, fica a dica.  Quando você compra um chá a granel, você pode analisar muito melhor. Sem falar que a qualidade dos chás a granel é imensamente melhor que a dos chás de saquinho.

Muitos fatores influenciam na qualidade do chá, desde PH da terra, altitude, temperatura, métodos de plantio e de colheita. Além desses fatores, a principal diferença entre os chás de saquinho e os chás a granel é o método de fabricação. Para a produção de chás a granel, é utilizado o método ortodoxo. Em meio ao longo processo de produção de chás, as folhas são enroladas ou achatadas – tanto para dar formato quanto para extrair ao máximo o sabor das folhas. O chá de saquinho é produzido de forma muito mais simples e rápida, o método CTC (cut, tear, curl): as folhas são cortadas, despedaçadas e enroladas. (Leia mais aqui.) Nesse processo, perde-se muito sabor, aroma e qualidade.

Para ficar mais claro, observe a foto abaixo. Os dois potinhos possuem folhas de chá do Ceilão. O de cima foi preparado com o método ortodoxo (chás a granel) e o de baixo, com o método CTC (utilizado em chás de saquinho).

 

ctc e ortodoxo

Acima, chá feito com o método ortodoxo, com as folhinhas mais inteiras, enroladinhas. Abaixo, chá feito com o método CTC, com as folhas trituradas.

 

Algumas marcas importadas oferecem chás de saquinho de melhor qualidade. São aqueles saquinhos piramidais, em que você pode ver as folhinhas de chá dentro, inteiras – e não trituradas. Uma regrinha básica é: quanto mais inteiras estiverem as folhas de chá, melhor é a qualidade do chá. Você consegue observar bem o formato das folhinhas abertas depois de fazer 2 ou 3 infusões. A cada nova infusão, as folhinhas vão se abrindo mais.

 

2- SINTA O AROMA DO CHÁ

Depois de observar as folhas, sinta o aroma para identificar a qualidade do chá. Flor plantada no jardim, ou recém-colhida com carinho é cheia de aroma e vida. Já uma flor velha e murcha quase não tem cheiro. Quanto mais fresco o chá está, mais aroma ele tem. Na foto abaixo, aproveitei para sentir o frescor e o aroma das folhas de chá recém-colhidas por mim, durante o mês em que trabalhei em uma plantação de chá em Çifteköpru, no interior da Turquia. Que alegria! (Clique aqui para saber como foi meu mês como agricultora no interior da Turquia.)

dani cheirando cha

 

Muitas lojas e casas de chá possuem um potinho de amostra de chá, para que os clientes possam ver as folhas e sentir o aroma. É sempre bom sacudir um pouquinho o pote, para que o aroma seja liberado. Uma dica muito boa é começar a treinar o olfato para distinguir aroma natural de aroma sintético. Muitas marcas utilizam aromatizante. O aromatizante, além de ser um produto químico, não traz nenhum benefício. Já um chá puro ou um blend produzido com ervas, flores e frutas desidratadas possui aromas naturais e verdadeiros, e tem muitas propriedades benéficas para a saúde.

O ideal é sentir o aroma do chá em três etapas: aroma das folhas secas, aroma das folhas úmidas (logo depois que você faz a infusão) e aroma do licor do chá, ou do chá em si (o líquido). 🙂

 

3- DEGUSTE O CHÁ
Deguste o chá para saber se o sabor corresponde ao aroma. Quanto mais fresco for o chá, mais sabor e aroma ele tem. Na Ásia e em algumas lojas de chá da Europa, os chás são separados não apenas por tipo ou nome, mas também por estação do ano em que são colhidos: Primavera, Verão e Outono. Cada estação do ano proporciona ao chá um sabor característico.

Durante os meses em que estive na China, descobri que os chineses não bebem chá velho. Velho, pra eles, é chá do ano passado. Ok, é muito mais fácil sempre tomar chá fresco se você morar em um dos países com maior e melhor produção de chás do mundo. Agora, pense na sua prateleira com aquela coleção de chás que você guarda há cinco anos. Realmente, a maioria deles já perdeu muito do seu sabor e aroma.

Degustar chás pode ser sempre surpreendente, pois a sensação percebida pelo olfato é diferente da sensação do paladar. Vou dar um exemplo explicando a degustação de um dos meus blends da Caminho do Chá http://caminhodocha.com.br/, minha marca de blends artesanais e casa de chás em Curitiba. O Kingston é preparado com chá escuro da tribo lahu (que visitei na Tailândia), chá escuro da China, bananas e pimenta jamaica. No aroma das folhas secas, você sente predominantemente as bananas. O olfato fica levemente eriçado com o aroma da pimenta. Já no aroma do licor do chá, você sente aroma de terra e de bananas, que combina muito bem.

KINGSTON cha pu erh banana pimenta jamaica

Esse é o Kingston, blend da Caminho do Chá com chá escuro da tribo lahu (que visitei na Tailândia), chá escuro da China, bananas e pimenta jamaica

 

Na degustação, a característica de cada ingrediente é percebida de maneira distinta. No primeiro momento, o sabor do chá escuro é muito mais predominante e forte que o sabor das bananas. O chá escuro, que é fermentado, possui um caráter terra muito forte. Por alguns segundos, esse é o único sabor que você consegue sentir. De repente, o sabor do chá escuro passa para segundo plano, e as bananas aparecem. Fica no paladar aquele docinho de bala de banana (nossas frutas são compradas frescas e desidratadas pela nossa equipe), acompanhado pelo característico amargor do chá escuro. Alguns segundos depois, você pensa: “E a pimenta Jamaica, cadê?” Antes de conseguir procurar uma resposta, ela aparece, na sua garganta. Sim, porque as especiarias sempre aparecem na garganta. Pimenta é sensação, não sabor. A brincadeira continua quando você faz a segunda infusão, que é mais doce e menos terra que a primeira. Degustar é viver! ❤

A surpresa da degustação pode não ser tão agradável quando você bebe um produto aromatizado. Muitas vezes, o aroma é tão forte que, no paladar ele quase não tem gosto. Mas, no Ocidente, muita gente gosta de produtos com aromatizante. No Oriente, não ouse oferecer um chá aromatizado pra ninguém. Risos! Mas gosto não se discute. Só é importante levar em consideração que quando mais natural um produto é, melhor ele faz para a saúde. J

 

4- UTILIZE OS DEMAIS SENTIDOS para curtir o momento e saborear a vida e o chá

Nas três dicas anteriores, falei sobre características de um chá de qualidade. Mas você pode comprar o melhor chá do mundo, em termos de qualidade, e ainda assim não gostar.

Entenda o seu paladar e conheça seu gosto para acertar na escolha. As opções são muitas e para todos os gostos e tipos de pessoas. Quem gosta de chás mais suaves vai ficar feliz com um chá branco, um chá verde ou ainda um oolong verde (não defumado). Quem gosta de chás mais fortes vai se encantar com oolongs defumados e chás pretos, puros ou defumados. Quem precisa de mais energia ou quem gosta de café vai se identificar com chás pretos puros e intensos, como um Assam, da Índia, ou com chás escuros, como o Pu-Erh. Quem quer relaxar ou equilibrar a saúde (pela causa, e não pelo sintoma), pode se deliciar com infusões de ervas, flores, frutas e raízes.

Todos os sentidos podem ser explorados para melhorar sua degustação. Nada como chegar em casa no final do dia, sentar no sofá ou na varanda, colocar uma boa música e tomar um chazinho gostoso. Só de sentir o aroma do chá e segurar a xícara de chá quentinha, já relaxamos. A cada gole, uma sensação de tranquilidade e paz.

 

Aguce seus sentidos e escolha sempre os melhores chás!

Beijos e muito chá,

Dani Lieuthier