Anji e a carona da sorte

Ainda não terminei de escrever sobre a minha viagem, falta China, Taiwan e Marrocos! No último post, comecei a contar sobre minha viagem de um mês pelo interior da China. Estamos na China nesse post! 🙂

 

pintura e pixacao pq

Muro em Anji, no vilarejo onde estão as plantações de chá

 

E continuou a primeira parte da minha tea trip na China, ainda com a minha amiga alemã-vietnamita, Mai. Ela ficou um pouco assustada em saber que estávamos indo pra lá sem nenhum contato de produtor de chá. Disse pra ela o que eu sempre digo: Vai dar tudo certo! Mais uma vez, “coincidências” aconteceram a favor do Caminho do Chá! 🙂

plaquinha peq

Seguindo placas, o coração, a intuição… 🙂

 

Chegamos cedinho na rodoviária em Anji e fomos direto pro hotel. Que delícia viajar pelo interior da China! Hotéis bons e baratinhos! ❤ Deixamos a mala e fomos pegar informação na recepção. Resulta que nenhuma das duas recepcionistas sabia onde eram as plantações de chá. Mas, pra nossa sorte, (Ufa!) a moça da limpeza ouviu a nossa conversa e veio até o balcão da recepção explicar pra gente como chegar.

 

estatuas colhedoras de cha peq

Na praça principal do pequeno vilarejo: estátuas reproduzindo a colheita do chá. ❤

 

Pegamos um ônibus e, meia hora depois, chegamos ao destino. Já era uma área bem rural, com poucas casas e muitas plantações de todo tipo. Mas onde estavam as plantações de chá? Caminhamos um pouco e achamos uma loja de chá bem grande. Perguntamos para a mulher que ali estava e ela nos apontou uma direção. Andamos e encontramos uma estradinha com uma placa que, em ideogramas chineses, dizia “Anji Bai Chá”. Oba, meu chá! Do nosso lado direito, plantações de arroz. Do lado esquerdo, uma fileira interminável de casas. Essas casas ficavam no pé de pequenas montanhas, e, nessas montanhas, dava pra ver plantações de chá. Mas sem nenhuma brecha pra entrar!

 

pedra 02 peq

Pedras no caminho. Hehe! Literalmente, foi difícil chegar!

 

Seguimos por uns dois quilômetros, embaixo do sol ardente. Passou um carro com dois chinesinhos, que deveriam ter uns 18 anos. Eles passaram olhando para nós duas e seguiram. E nós seguimos, por mais um quilômetro.

tea farms everywhere peq

Fazendas de chá por todos os lados, no horizonte. Mas como chegar lá?

Achamos diversas fabriquetas de chá. Uma fechada, a outra fechada, mais uma fechada. “A temporada de colheita começa semana que vem. A fábrica está fechada.”. Antes de perder todas as esperanças, achamos uma placa que apontava para um Museu do Chá. Andamos até o museu também e descobrimos que também estava fechado. Tristes, decidimos voltar. O problema era o calor. Mas não existia nenhuma possibilidade de pegar um táxi. Estávamos no meio do nada.

pedra 01 peq

Mais pedras no caminho. Quase desistimos!

 

Seguimos caminhando, as duas já de mau humor, com fome e calor. A cada 5 minutos de caminhada, passava um carro e, com ele, a esperança de uma carona. Não é muito comum dar/pegar carona na China, mas esse era meu maior desejo, com o sol fritando meu cérebro desapontado. “Olha, vem uma caminhonete!”. A gente só olhou pra trás e, adivinha! Os chinesinhos de 18 anos de novo! Oba! Eles nos ofereceram uma carona pra voltar para o vilarejo. Subimos na caçamba (porque era uma caminhonetinha só com lugar pra dois) e fomos.

carona

Ihu! Caroninha da sorte!

 

Chegamos no vilarejo, descemos da caçamba e agradecemos. “Xie xie ni!” Eles conversaram entre eles, em mandarim (não entendi nada) e viraram pra gente de novo. Um deles arriscou em inglês: “Do you wanna have tea with us?” (“Vocês querem tomar chá com a gente?”). A gente se olhou. Eu meio que desconfiei, porque quase caí no golpe da casa do chá, em Shanghai (conto em outro post). Mas decidimos ir. Caminhamos até aquela primeira loja de chá, onde havíamos pedido informação quando chegamos no vilarejo. “Essa é a minha mãe!”, ele disse apontando para a mulher com quem a gente tinha conversado antes. GENTE, QUE COINCIDÊEEENCIA!

tomando cha peq

Tomando um chá com nossos novos amigos! 🙂

 

Sentamos para tomar o chá, o delicioso, famoso e almejadíssimo depois de 3km de caminhada no asfalto pegando fogo. Conversa vai, conversa vem. “Vocês compram o chá dos produtores aqui da região?”, “Não, nós temos uma fazenda!”. Whaaaaaaat? Obrigada, meu Deusão, querido Buda e todas as good vibes do planeta por mais essa! 🙂

cha sem agua peq

Esse é o Anji Bai Chá. Bai, em chinês, significa branco. Causa confusão. Mas a verdade é que esse não é um chá branco, mas um chá verde! 🙂

cha sendo preparado peq

cha com agua peq

Ready to go! Hummm!

Olhem que lugar lindo! É daqui que vem o chá Anji Bai Chá. Em chinês, significa Chá Branco de Anji. Mas, a pegadinha é que esse não é um chá branco, mas um chá verde. Não estou delirando,  os próprios fabricantes sabem disso. Haha! O que torna esse chá verde é a forma de produção. E dizem que o nome vem do fato de que esse cultivar* tem os botões de folha bem branquinhos na safra de primavera. Os botões de folha de chá sempre são branquinhos, cobertos por uma penugem branca fina, que protege a folhinha jovem.

achamos cha peq

Lindas folhinhas jovens de Anji Bai Chá. A colheita só iria começar 2 semanas depois! Que pena!!!

caminho do cha peq

Caminho do Chá… e do bambu! hehe

raizes do cha peq

Olhem que lindas as raízes do chá! ❤ Parece foto de livro de Geografia! haha

 

Eles não só têm uma plantação, como também têm uma fábrica! Pena que a colheita só iria começar em 15 dias. E eu não tinha sobrando no itinerário para ficar mais tempo lá! Até porque na China não dá pra ficar assim por prazo indeterminado. Meu visto era de dois meses! Uma pena, mas na próxima ida à China, chego na data certa e participo da colheita! 🙂

fabrica fechada 2 peq

Fábrica fechada. Que dó!

dani com cestinha

Deixa eu fingir que tô participando da colheita, vai! haha

fabrica fechada peq

Tudo empilhadinho e guardadinho. Snif, snif! Queria ver!!!

maquina de enrolar cha peq

Essa é uma máquina utilizada para enrolar as folhas de chá! 🙂

 

O resultado é: depois de toda essa história, consegui meu fornecedor exclusivo de Anji Bai Chá! 🙂

Beijos e muito chá!

5 segundos para o por do sol peq

5 segundos para o pôr do sol.. ❤ Foto tirada no final desse dia lindo, já de volta à cidade.

*Cultivar é a designação dada a determinada forma de uma planta cultivada. Além dos diferentes processos para produzir chá, cada cultivar proporciona um resultado final diferente.