Aniversário de um ano. E o próximo passo!

30 de julho. Acordo às 7h da manhã. Malas prontas. Aperto no coração. Amo viajar. Ai, vai ser tão legal! Ah, vou ficar com tantas saudades do Zawa! Quem vai me levar? O Zawa! Podem ir pro aeroporto também, mãe e pai!

E enquanto as lágrimas de uma saudade que ainda estava por começar escorriam pelo meu rosto, os soluços eram também de alegria. E a tristeza de saudade foi se apagando. Sentimento pleno de amor e saudade, que estaria ali presente nos próximos 9 meses de viagem. Tchau, família! Tchau, namorado (que sobreviveu a viagem e virou marido – viva as relações à distância!)! Tchau, amigos! Curitiba, sua fria, não vou sentir tantas saudades de você, desculpe! Beijos de saudades para todos.

istambul passo p

Istambul com Mesquita Azul ao fundo. E, à frente, minhas pernas correndo pra tentar posar antes do timer disparar.

O avião alçou voo. Tirar o pé do chão significa um passo, um voo, um começo. Estou voando. Voando atrás do meu sonho. Que linda vai ser essa viagem. E assim passei, as 16 horas do voo São Paulo-Paris, as primeiras horas de centenas que faria pelo mundo afora, com lágrimas de alegria e tremedeiras de ansiedade pela importância que essa viagem viria a ter em minha vida.

Sorri, chorei. Me perdi, me encontrei. Me encontrei. Me redescobri. Me desapeguei. Me arrepiei. Me apaixonei por pessoas incríveis. Paixão dessas de admiração. Paixão por momentos inesquecíveis. Paixão de surpresa tamanha a conexão com certas pessoas, que estavam ali, no lugar certo e na hora certa. Era pra gente se encontrar. Era pra tudo acontecer. Tudo aconteceu. Aprendi muito. Aprendi muito sobre chá. Mas ainda mais sobre a vida, sobre as pessoas, sobre o mundo e sobre mim.

Vivi intensamente. E estou agora suspirando de saudades, novamente. Mas agora saudades da viagem. Estou de volta com minha família, amigos, marido (antes namorado). Mas o mundo sempre vai deixar saudades. Os amigos do mundo deixam saudades. Em um piscar de olhos posso lembrar de centenas de memórias lindas com pessoas maravilhosas ou sozinha no meio do nada. Um ser na Terra, no mato, na vida, no caminho. No caminho.

Meu caminho me trouxe de volta. Tudo o que começa precisa ter fim, ou continuação. Essa viagem começou com data para terminar. Terminar para começar a transformar meu sonho em realidade.

Hoje, faz um ano que saí na viagem mais linda, especial, maravilhosa e importante da minha vida. Quando pousei de volta no Brasil, há 3 meses, foi o fechamento desse ciclo, de pesquisa, de viagem, desse mundo lúdico. Agora é hora de começar uma nova viagem, de dar o próximo passo. Uma viagem sem caminho de volta. Uma viagem sem fim. Por toda a vida pelo Caminho do Chá.

Primeira parada: casa de chás em Curitiba. Já estamos cada vez mais perto. O céu está limpo. Sinal positivo para aterrissar. Capitão, preparar para pouso. Passageiros, leitores e amigos, muito,  muito, muito em breve, vocês poderão desembarcar.

Para saber mais sobre a primeira casa de chás da Dani, clique aqui.